Publicado em 20/11/2023

Semana Nacional da Saúde Digital

A saúde digital é cada vez mais vista como essencial para facilitar o acesso aos serviços de saúde e melhorar a qualidade dos cuidados. Em parceria com todas as partes interessadas, a coligação Transform Health Senegal tem por objetivo apoiar o Estado do Senegal no seu processo de digitalização dos cuidados de saúde.

A Semana da Saúde Digital, celebrada de 6 a 12 de novembro de 2023, foi uma oportunidade para a coligação Transform Health Senegal amplificar as suas acções, organizando uma série de actividades: um painel sobre os princípios da governação dos dados de saúde, um dia de intercâmbio e partilha de experiências da campanha "os meus dados, a nossa saúde" e um passeio a pé sobre o tema: em movimento para digitalizar o sistema de saúde.

Estas actividades tiveram lugar nos dias 8, 10 e 12 de novembro de 2023 em Dakar, em colaboração com o Ministério da Saúde e da Ação Social através do CSSDOS, responsável pela coordenação do processo de digitalização do sistema de saúde do Senegal.

Organizações membros da coligação Transform Health, do sector privado, bem como organizações sectoriais como o Ministério da Mulher e da Família, através da Direção da Família e dos Grupos Vulneráveis, e a Associação das Mulheres Médicas Senegalesas, que aderiu recentemente à coligação nacional senegalesa, também participaram no painel de discussão sobre o tema "princípios da governação dos dados de saúde".

Debates sobre os princípios da governação dos dados relativos à saúde

Os debates permitiram aos participantes conhecer e compreender as várias iniciativas e a abordagem do governo à digitalização do sistema de saúde. Mas também o ponto da situação e as perspectivas da governação dos dados de saúde. Referindo-se à lei de 2008 sobre a proteção dos dados pessoais, Mohamed Diop, responsável pelos assuntos jurídicos da Comissão de Proteção dos Dados Pessoais, salientou o seguinte:

A lei classifica os dados sob o termo "dados sensíveis", que inclui dados relativos à saúde, e inclui uma cláusula que permite a recolha destes dados.

Mohamed Diop, Diretor dos Assuntos Jurídicos do CDP

O Senegal também adoptou recentemente uma estratégia nacional de governação de dados. No âmbito desta estratégia, a tónica é colocada nas utilizações que podem ser dadas aos dados, tendo sido definidas várias orientações estratégicas.

Por outro lado, existe uma lacuna no que diz respeito à regulamentação das infra-estruturas, ao alojamento e à participação dos profissionais de saúde. Uma lacuna que a lei que está a ser aprovada irá certamente preencher.

Esperamos que a lei seja aprovada em breve

Siny Fall, engenheira informática do CSSDOS, espera que a lei seja adoptada em breve. Ela elogiou a colaboração entre o CSSDOS e o CDP, bem como outros departamentos do Ministério da Saúde e da Ação Social, na elaboração da lei.

O objetivo é poder trabalhar no sentido de tornar legais as soluções informáticas para a gestão dos dados de saúde, tanto no sector privado como no público. 

Durante o debate, foram levantadas várias questões jurídicas relacionadas com a governação dos dados de saúde: que nomenclatura deve ser utilizada? quem tem acesso aos dados? quem é o seu proprietário? etc...

Mas, na opinião de Mohamed Diop, só a União Europeia pode dar resposta a estas questões. A União Europeia pode também fornecer um quadro para a saúde digital através da governação dos dados de saúde com base na segurança, confiança, equidade e qualidade.

Ainda no âmbito desta lei, Mohamed Diop, responsável pelos assuntos jurídicos da Comissão para a Proteção dos Dados Pessoais, apelou à criação de um sistema de armazenamento de dados de saúde, disponível e partilhável no interesse da saúde pública. Este sistema essencial permitiria ao sector dos seguros de saúde harmonizar as iniciativas com a Agência de Cobertura Universal de Saúde.

Partilhar