Publicado em 05/09/2022

Melhorar a saúde materna e neonatal

Apesar dos progressos na luta contra a mortalidade materna e infantil, mais de 300.000 mulheres morrem todos os anos devido a complicações na gravidez ou no parto. 2,7 milhões de recém-nascidos morrem nos primeiros 28 dias de vida. Na África subsaariana, cerca de 550 mulheres morrem todos os dias de causas relacionadas com a gravidez e o parto.

No entanto, cada vez mais o mundo está a aperceber-se que estas mortes são evitáveis e que é imperativo prestar cuidados de qualidade para manter estas mães e os seus filhos vivos e saudáveis.

Na promoção, prevenção e prestação de cuidados de saúde materna e infantil, as parteiras são os actores da linha da frente. Em África, eles são os pilares dos cuidados. Ajudam as mulheres durante a gravidez e o parto, prestam cuidados pós-parto, planeamento familiar e cuidados para a prevenção do cancro da mama e do colo do útero.

Contudo, muitos obstáculos impedem estes actores de assumir a carga de trabalho esperada: falta de pessoal, pessoal mal formado, acesso limitado aos serviços de saúde, infra-estruturas deficientes, falta de informação para as mulheres devido ao baixo nível de educação, falta de recursos das famílias. Por conseguinte, é importante concentrar-se na formação profissional e na gestão do pessoal que se baseie nas experiências das parteiras, e reforçar o sistema de saúde através da implementação de intervenções inovadoras.

O trabalho da ENDA Santé

ENDA Santé, através dos seus projectos SANSAS, Community Health e VIMOS, trabalha em estreita colaboração com os prestadores de cuidados de saúde e a comunidade para melhorar a qualidade dos cuidados de saúde reprodutiva. Apoia o sistema de saúde fornecendo equipamento (compra de ultra-sons, ambulância médica, kits de entrega), reabilitação e construção de postos de saúde e hospitais, e capacitação de parteiras e outros actores envolvidos através de sessões de formação.

Além disso, a ENDA Santé criou uma estratégia móvel para chegar às populações em zonas difíceis. Através das suas clínicas móveis, são regularmente organizados passeios em colaboração com diferentes distritos de saúde, Bajenu Gox (madrinhas do bairro) ou educadores de pares para o alvo dos jovens. Ocasionalmente, são oferecidos serviços de prevenção: rastreio do VIH, rastreio do cancro do colo do útero e serviços de PF. Estas acções visam reforçar a prestação de cuidados de qualidade em áreas difíceis de alcançar e contribuir para a melhoria dos cuidados de saúde reprodutiva.

Este mês de Maio, dedicado às parteiras, dá à ENDA Santé a oportunidade de prestar homenagem a estes actores pelo seu trabalho diário de promoção e sensibilização para os cuidados essenciais que oferecem às mães e recém-nascidos.

Partilhar
Outros artigos que lhe possam interessar